Assisti: Koutetsujou no Kabaneri


Olá, pessoas! Hoje vou falar sobre um anime que terminei de assistir recentemente e gostei bastante: Koutetsujou no Kabaneri, também conhecido como Kabaneri of the Iron Fortress (ou ao pé da letra, Kabaneri da Fortaleza de Ferro). Eu comecei a assisti-lo em dia, seguindo os lançamentos, junto com meu namorado, mas ele não estava gostando e eu continuei na esperança dele querer terminar de ver comigo, mas não deu certo, então eu terminei sozinha. Sinceramente, eu acho que se ele tivesse terminado ele também teria gostado, mas tudo bem hahaha. Eu não sou muito boa com resenhas, então vou falar do meu jeitinho (que não é o da Xuxa, ok?), então me perdoem se eu falar alguma bobagem!

kcauzices-20160913-assisti-koutetsujou-no-kabaneri-001

Koutetsujou no Kabaneri é um anime do gênero pós-apocalíptico e steampunk, que teve sua estreia em abril de 2016, e se passa em um período industrial, quando um vírus misterioso infecta os humanos, transformando-os em kabane, e se espalha rapidamente. Os kabane lembram muito zumbis pois transmitem o vírus através de mordidas e são bastante agressivos. A única forma de matar um kabane é perfurando seu coração (que brilha, é fabuloso), que é protegido por uma camada de ferro. Para se protegerem dos kabane, as pessoas vivem em cidades elevadas cercadas por grandes muralhas, que são as fortalezas, e o único meio de transporte e comunicação entre uma fortaleza e outra é por locomotivas a vapor.

kcauzices-20160913-assisti-koutetsujou-no-kabaneri-002

Produzido pelo Wit Studio, dirigido por Tetsuro Araki (mesmo estúdio e diretor de Shingeki no Kyojin) e escrito por Ichiro Okouchi, o anime começa com a estação Aragane sendo invadida por uma horda de kabane e o protagonista Ikoma, um jovem engenheiro muito ambicioso, tendo sua primeira oportunidade para testar a arma de perfuração a vapor que criou para derrotar os kabane. Ele acaba sendo mordido e por pouco consegue se salvar (de um jeito bem interessante), resistindo ao vírus e se tornando um kabaneri, que é um híbrido meio kabane e meio humano. Durante o ataque ele conhece a Mumei, uma outra kabaneri que estava visitando a fortaleza bem na hora do ataque (a melhor personagem do anime). Então junto a outros sobreviventes eles escapam da fortaleza em uma locomotiva chamada Koutetsujou e seguem para encontrar um local seguro para ficar.

kcauzices-20160913-assisti-koutetsujou-no-kabaneri-003

O anime lembra muito Shingeki no Kyojin em vários aspectos. As fortalezas com grandes muros para se protegerem de monstruosidades que comem humanos é o principal fato, mas as movimentações dos kabaneris (principalmente da Mumei) lembram muito quando usam o aparelho de movimentação tridimensional, o Ikoma pode ser comparado ao Eren por ser um híbrido e também tem uma lenda viva, assim como o Levi: a Mumei. Ela é sensacional! A trilha sonora também é tão boa quando a do SnK, adoro ficar escutando aleatoriamente enquanto faço outras coisas (eu recomendo, vem ouvir).

O anime é curtinho, são só 12 episódios e tem sua historia “fechada”. Tem abertura para uma continuação, mas o final não deixa nada a desejar (pelo menos para mim não deixou). Ele não está disponível no Crunchyroll do Brasil, mas é fácil de encontrar em sites de animes online.


E você, já assistiu? Se sim, gostou? Se não, acha que vai gostar? Como eu já disse aqui outras vezes, eu sou fácil de agradar quando o assunto é filmes ou animes, mas como é um anime curtinho eu acho que vale a pena dar uma chance!

Anna Kcau

28 anos com gostos e manias de 12. Recém formada em Arquitetura e Urbanismo. Apaixonada por bonecas, animes, mangás, videogames. Snapchat: annakcau

3 comentários em “Assisti: Koutetsujou no Kabaneri

  1. Nossa, coloquei esse anime na minha fila pra assistir essa semana! Tua resenha me deixou mais empolgado ainda!
    Atualmente to vendo Steins;Gate, é de 2011 e eu enrolo pra ver desde a época, daí to assistindo só agora e amando. Já viu? Acho que você ia gostar <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *